POPUP
AJUDE ESTA OBRA
ACESSE A NOSSA LOJA

Sede fecundos: a sexualidade como fonte de bênção e graça

Família | 11 de Setembro 2020

Padre Léo, ao longo de sua jornada, percebeu o quanto é raro encontrar conteúdos que trouxessem uma reflexão sobre a fecundidade como algo belo e santo. Por isso, fez questão de deixar-nos alguns ensinamentos acerca do assunto.

Sede fecundos: a sexualidade como fonte de bênção e graça

Deus dá a graça da fecundidade como forma de bênção sobre um casal, fazendo de nós, Seus filhos, co-criadores. É algo belo e profundamente inspirador, não é mesmo?

Sobretudo, a fecundidade é um tema que precisa ser muito bem trabalhado numa relação, a fim de que o casal compreenda que, para serem fecundos, é preciso pensar em todos os aspectos da vida: a fé, a espiritualidade, o respeito um para com o outro, com os filhos e, até mesmo, a situação financeira. 

Ao longo de sua jornada aqui na terra, ao notar que era raro encontrar textos que ajudassem as pessoas a pensarem na sexualidade como algo belo e santo, Padre Léo fez questão de trazer o tema à tona escrevendo, inclusive, um livro de linguagem franca, no qual abordou as mais diversas questões sobre a vida sexual. 

E, é tendo por base esta obra de nosso querido fundador, que escrevemos o conteúdo que você confere a seguir!

Vocação matrimonial 


“A vocação para o matrimônio está inscrita na própria natureza do homem e da mulher, conforme saíram das mãos do criador. Deus, que criou o ser humano por amor, também os chamou para o amor, vocação fundamental inata de todo ser humano, pois o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus que é amor. Tendo-os criado homem e mulher, seu amor mútuo se torna uma imagem do amor absoluto indefectível de Deus pelo ser humano, esse amor é bom, muito bom, aos olhos do criador, e este amor abençoado por Deus é destinado a ser fecundo”. 

Padre Léo nos faz refletir sobre o desejo de Deus para as nossas vidas: que sejamos fecundos, capazes de reproduzir os filhos Dele na Terra. E, indo contra o que muitos pensam, ele ressalta que não há nenhum pecado no que diz respeito à sexualidade e à vida conjugal. Afinal, o projeto de Deus para o ser humano não tem nada a ver com o pecado, mas com a fecundidade, o ato de fazer crescer a família aqui na Terra, de multiplicar Seu nome e Seus ensinamentos.

O ser humano foi preparado para a fecundidade


O prazer que Deus colocou no homem e na mulher é algo tão grande que, mesmo numa relação pecaminosa, o ser humano é capaz de sentir prazer. Se o prazer não fosse uma realidade maior do que o pecado, então, em uma relação pecaminosa, o ser humano não teria prazer. O próprio fato do prazer ser maior do que o pecado, prova que o prazer é marca de Deus em nossa vida, o prazer é o próprio Deus em nossa vida.

Segundo Padre Léo, um casal que não tem uma vida espiritual intensa, que não vive a profundidade da vida espiritual conjugal, jamais saberá o que é o verdadeiro prazer, contentando-se somente com o prazer desequilibrado, aquele prazer que é possível se adquirir sozinho, por meio da automanipulação do corpo.

Mas, o prazer verdadeiro, só é possível quando o casal se encontra unido, em todos os âmbitos da vida.

Devemos ter nosso corpo como um depósito de amor


O prazer que falamos não é esse prazer de automanipulação, é algo que vai ao contrário da pornografia, do vício midiático, mas que remete ao amor. Deixar o amor tocar seu corpo, o fato de saber que seu parceiro foi escolhido por Deus para estar ali com você dividindo esse momento tão especial.

A restauração da sexualidade


Todos os seres humanos trazem marcas que se fixaram de forma estragada em sua sexualidade. Cada um possui um espinho, alguns mais controlados, outros menos, mas todos temos desequilíbrios.

A cura da sexualidade estragada, ou seja, dos resquícios negativos que se tem do ato sexual, se dá através de penitência, de oração, de jejum, de leitura da liturgia e, principalmente, do apoio do(a) parceiro(a), pois o matrimônio é isso: ser cura um para o outro. Trata-se de um sacramento, ele contém Deus, e isso é um sinal evidente de que Ele está presente nas relações.

A sexualidade precisa ser curada primeiramente no pensamento


Jesus associou a sexualidade aos olhos e ao coração. Segundo Ele, tudo que há de bom e ruim no mundo foi gestado no coração e, no campo da sexualidade, os olhos são fundamentais. 

Olhos e coração devem estar purificados, não existindo outra forma de amar. Se a pessoa não consegue enxergar o outro com o plano de Deus, também não conseguirá amar mais. Pois, o amor entra pelos olhos e transcende pelos corações.

Assim, não podemos mais ficar com os olhos estragados, precisamos curar nosso pensamento, nosso olhar, nosso coração, precisamos curar nossa mente para amar novamente, para que haja dedicação no relacionamento, nos possibilitando viver uma vida a dois de graça e bênçãos.

Orgasmo além da sexualidade, orgasmo de vida


A sexualidade vai além do ato sexual, é questão de intimidade, de convivência do matrimônio, é ir à Igreja em casal, participar do serviço à comunidade em parceria, é assumir projetos de vida com a pessoa amada, é ter respeito, amor e, depois de tudo isso, é ter relações com a pessoa e sentir o verdadeiro orgasmo, aquele que ninguém consegue explicar, aquele que não tem necessidades de estímulos, pois o próprio amor é o estímulo.

É preciso ter orgasmos de alegria por estar com a pessoa que você ama, a pessoa que todos os dias, antes de dormir, faz parte das suas orações mais sinceras!

Os corpos são feitos para se complementarem


O corpo da mulher foi feito com exclusividade para o do homem, da mesma forma que o corpo do homem foi criado com exclusividade para o da mulher. Ambos se complementam. Deus fez nossos corpos de forma a não se contradizer à natureza, tudo sob medida, pois somos complemento um para com o outro.

A primeira vocação do matrimônio é ser marido ou mulher e é isso que Deus nos cobra quando acolhemos esse sacramento. No ambiente em que o casal vive, Deus se encontra, porque Deus está no sacramento do matrimônio.

Quer ver mais ensinamentos que Padre Léo nos deixou em vida? 
Você pode conferir algumas de suas histórias que sempre têm algo para nos inspirar aqui: acesse!

 
 
Deixe seu comentário
Compartilhe