POPUP
AJUDE ESTA OBRA
Dunga relembra amizade com Padre Léo
Crédito da foto - Ana Picolli

Após dois anos desde a última visita à Comunidade Bethânia Recanto São João Batista (SC), o missionário e cantor católico Dunga foi o pregador do 3º Marial, Maria Mãe do Amor, que ocorreu no domingo, 5, e reuniu pessoas de diversas regiões catarinenses. Além de proporcionar aos participantes momentos de oração e reflexão a partir dos ensinamentos de Maria, o missionário também se recordou do amigo Padre Léo, fundador da Comunidade Bethânia. 

Segundo Dunga, a amizade entre os dois teve início no fim da década de 1980, quando o Padre Léo era ainda seminarista, conhecido na época como frater Léo, e, já na condição de diácono presidiu a celebração do casamento de sua cunhada na cidade de Pindamonhangaba (SP). “Foi lá que começou a minha amizade com o Padre Léo. E depois quando eu me tornei missionário, acabei me reencontrando com ele várias vezes em encontros no Paraná, aqui em Santa Catarina e também no Rio Grande do Sul”, recorda o missionário.

Entre as qualidades do amigo, Dunga ressalta que Padre Léo que deixou um grande legado que dá sentido à vida. “Ele nos ensinou a tratar uma pessoa como única no mundo. Então quando volto à Bethânia, não só aqui em São João Batista, mas nos outros recantos que já tive a oportunidade de conhecer, vejo a presença dele viva e o que ele trazia em seu coração”, conta. Dunga também tem recordações de momentos que viveram juntos como participações em Jornadas Mundiais da Juventude, peregrinações, acampamentos, retiros e shows, por exemplo. Sobre o amigo o missionário também considera ter sido um dos maiores pregadores do Brasil: “Ele se tornou um grande comunicador, até hoje sentimos muito a falta dele, é uma grande saudade que eu sinto dele”, afirma. 

Em relação às visitas ao recanto e o crescimento da Comunidade Bethânia, Dunga enfatizou que se sente muito feliz ao retornar e ver o sonho do Padre Léo ganhando cada vez mais forma.  “Dá para ver o padre Léo andando por aqui, pregando do jeito que ele pregava. A impressão que dá é que a cada novo prédio que está em construção, ele está com a ferramenta na mão. Então isso se materializa também a cada novo canteiro, a cada novo animal, a cada nova ave” e ainda completou: “Eu vejo que a vida do Padre Leo não terminou ela está sendo vivenciada por todos que estão seguindo seu legado, ele está vivo”, concluiu Dunga.

Fotos: Ana Picolli
Texto: Marcia Peixe
 

 
 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas